domingo, 17 de setembro de 2017

A Filha do Amor

A FILHA DO AMOR
A caridade, como filha do amor, carrega consigo a luz da vida. Quando praticada com ternura, conforta o coração, de onde sai clareando todos os sentimentos que o bem impulsiona.
O Espiritismo é o mediador da luz de Nosso Senhor Jesus Cristo; por isso, ele se constitui em bênçãos de Deus e permanece no mundo consolando e instruindo as criaturas, para a formação de um novo mundo, onde há abundância do mel da verdade e do leite da fé.
Muita gente encontra-se maldizendo a Terra, pelos acontecimentos nela surgidos, mas na verdade ela está se elevando por força da lei. Quantas coisas boas existem na Terra, quantas descobertas apareceram nesses últimos cem anos em favor da humanidade! Se alguns usam as descobertas para o mal, logo se cansarão, e passarão a aplicá-las no bem comum, donde surgirá a alegria interna. Todos somos feitos iguais, e todos somos filhos do mesmo Deus.
A lei natural que afirma que todos os homens permeiam uns com os outros é irrefutável, expressando a vontade de Deus para o bem de todos. Ninguém engana o Senhor nas suas qualidades eternas.
A caridade conduz à mansuetude, no equilíbrio que a luz nos oferta, porque ela nasce no centro onde gera a vida. Verifiquemos que em todas as organizações espiritas surge a assistência social de muitas formas, capaz de consolar as criaturas que sofrem, na forma de pão, de roupa, de teto e várias outras modalidades de ajudar; é a caridade em função do amor, inspirada pelos benfeitores encarregados por Jesus, no alimento da alma, e para que a Doutrina Espírita circule na Terra, com esta feição de amor.
O Espiritismo está empenhado com Jesus nas mudanças dos sentimentos humanos que, de primitivos irão passando a ser maduros, entendendo o bem como dever, a educação como caminho, e a instrução como luz para compreender a vida, na simplicidade em que ela foi criada. Em todos os momentos de caridade, lembre-se de que ela salva no seu trabalho, no seu lar e na sua vida e que, às vezes, gestos pequenos costumam salvar uma nação de grandes catástrofes. Como é bom um lar viver em paz! Mas ela nasce no perdão e no exemplo do bem. Como é sublime entender os companheiros de trabalho! Aí surge a amizade e o ambiente se clareia com a fraternidade! Como é alegre a pessoa ser vista nas ruas como amiga da paz e da Concórdia! Todos vibram amor em seu benefício. São sementes que se passa a semear, e cujos frutos outro não colhe. É nesse sentido que se fala “O que é meu é meu”; aí não entra o egoísmo, mas a verdade. O egoísmo é a negação da caridade, é a enfermidade que somente se cura com o amor.
Este livro – Conceitos de Paz -, como lembrança do Evangelho, mais faz lembrar da melhora interna, do auto aperfeiçoamento, para a glória de si mesmo, porque para tanto fomos criados. Quem aperfeiçoa a si mesmo está se lembrando do Pai e agradecendo a Jesus, pela Sua grande renúncia de pisar junto aos homens, para dar o exemplo de amor, falando e fazendo, durante a Sua estadia na Terra, a pura caridade.
Quem deseja libertar-se das imperfeiçoes, vence a si mesmo amando.

Conceitos de Paz – Miramez/João Nunes Maia

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Espiritismo e Vida

ESPIRITISMO E VIDA
O Espiritismo, meus irmãos, é a luz que verte do Alto na grande noite da Humanidade, para nos apontar o caminho na escuridão.
O Espiritismo, é Jesus de volta, que nos vem convidar a reflexões muito profundas a respeito do que somos - Espíritos imortais - de como estamos - corpos transitórios - e para onde vamos - na direção da pátria, conscientizando-nos que a lei que deve viger em todas as nossas atitudes é a lei de amor. Este amor, porém, que é lei natural e está em todo o Universo, porque é a lei do equilíbrio.
Quando, realmente, nos deixarmos penetrar pela proposta de Jesus, quando legitimamente nos permitirmos mimetizar pelo Seu dúlcido olhar, feito de misericórdia e de compaixão, uma nova conduta se estabelecerá em nossas vidas, e aprenderemos, por fim, a seguir com equilíbrio pela estrada libertadora. O Espiritismo, anunciado pelo Mestre, chega na hora predita para atender o rebanho aturdido que, tresmalhado, aguarda o cajado do Bom Pastor.
Ele veio meus filhos, e convocou-nos a uma nova ordem de pensamento e de conduta. A Sua voz, de quebrada em quebrada, chegou até estes dias, para que tivéssemos um roteiro de segurança, para não mais incidirmos ou reincidirmos nos delitos a que nos vinculamos.
Da primeira vez, iludidos, fascinados, atormentados, deformamos-Lhe os ensinamentos, adaptando-os aos nossos interesses escusos. Mas Ele não cessou de nos enviar embaixadores encarregados de recordar-nos Seu amor inefável até quando Allan Kardec nos trouxe desvelados, o Evangelho para vestir nossa alma com a luz mirífica das estrelas.
Tenhamos cuidado com a prática espírita!
O Consolador não se deterá, mesmo que os homens coloquem pelos caminhos impedimentos à sua marcha, dificuldades ao processo evolutivo, porque Cristo vela!
O Espiritismo, meus filhos, é doutrina dos Espíritos para os homens.
Espíritos, por sua vez reencarnados, comprometidos com a instalação na Terra do reino do amor, da justiça e da caridade.
Tende tento!
Meditai profundamente na palavra de ordem e de razão que deflui do Evangelho vivo e, se por certo, estais sendo chamados para o rebanho, esforçai-vos para atender ao convite, e lutai até o sacrifício para serdes escolhidos.
Recebeis farta messe de luz; distribuí-a pelo mundo estróina.
Sois aquinhoados com o conhecimento libertador; passai-o adiante através da voz eloquente dos vossos atos e pela palavra austera dos vossos sentimentos.
Jesus espera! Como nós confiamos n’Ele e Lhe pedimos apoio, Ele confia em nós, e nos pede fidelidade.
Os Espíritos amigos, vossos anjos guardiães e companheiros de jornada, aqui estamos para sustentar-vos nos testemunhos, para dar-vos força, para que possais vencer com idealismo, de maneira estóica.
Não adieis o momento de ajudar, não procrastineis a hora de servir e, integrados na falange do bem, cantai, cantai ao Senhor, mesmo que lágrimas escorram pelos vossos olhos e dores macerem vossos corações.
Cantai um hino de júbilo e de liberdade, demonstrando que na cruz os braços estão abertos para afagar, dando testemunho que pode aquilatar o valor de quem ama.
Que o Senhor de bênçãos vos abençoe, e que a paz prossiga convosco, suavizando vossas lutas e dores! São os votos do servidor humílimo e paternal de sempre,

Bezerra de Menezes

domingo, 10 de setembro de 2017

Almas Perfumadas

ALMAS PERFUMADAS
Tem gente que tem cheiro
de passarinho quando canta,
de sol quando acorda,
de flor quando ri.
Ao lado delas,
a gente se sente no balanço de uma rede
que dança gostoso numa tarde grande,
sem relógio e sem agenda.
Ao lado delas,
a gente se sente comendo pipoca na praça,
lambuzando o queixo de sorvete,
melando os dedos com algodão doce
da cor mais doce que tem pra escolher.
O tempo é outro.
E a vida fica com a cara que ela tem de verdade,
mas que a gente desaprende de ver.
Tem gente que tem cheiro
de colo de Deus,
de banho de mar
quando a água é quente e o céu é azul.
Ao lado delas,
a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis.
Ao lado delas,
a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo,
sonhando a maior tolice do mundo
com o gozo de quem não liga pra isso.
Ao lado delas,
pode ser abril,
mas parece manhã de Natal,
do tempo em que a gente acordava
e encontrava o presente do Papai Noel.
Tem gente que tem cheiro
das estrelas que Deus acendeu no céu
e daquelas que conseguimos acender na Terra.
Ao lado delas,
a gente não acha que o amor é possível,
a gente tem certeza.
Ao lado delas,
a gente se sente visitando um lugar feito de alegria,
recebendo um buquê de carinhos,
abraçando um filhote de urso panda,
tocando com os olhos os olhos da paz.
Ao lado delas,
saboreamos a delícia do toque suave
que sua presença sopra no nosso coração.
Tem gente que tem cheiro
de cafuné sem pressa,
do brinquedo que a gente não largava,
do acalanto que o silêncio canta,
de passeio no jardim.
Ao lado delas,
a gente percebe que a sensualidade
é um perfume que vem de dentro
e que a atração que realmente nos move
não passa só pelo corpo.
Corre em outras veias.
Pulsa em outro lugar.
Ao lado delas,
a gente lembra que no instante em que rimos
Deus está conosco, juntinho, ao nosso lado.
E a gente ri grande que nem menino arteiro.
Tem gente como você,
que nem percebe como tem a alma perfumada
e que esse perfume é dom de Deus.
Ana Jácomo

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Mente e Sexo

MENTE E SEXO
A mente e o sexo são as mais divinas características do ser humano. Fontes por excelência de ação criadora, atuam, basicamente, uma nas portentosas dimensões do Espírito, e o outro nos imensuráveis domínios da forma.
A mente elabora o pensamento, norteia a razão, gera a técnica, comanda a vida. O sexo garante e renova a vivencia das formas, em que as essências se revelam e se acrisolam, por meio de longuíssima fieira de planos evolutivos.
A mente evolve para a sabedoria, por meio de incessantes apurações do instinto. O sexo evoluciona para o amor, depurando a libido, no crisol das experiencias sublimadoras.
A mente engendra magnificentes edificações da inteligência, na construção do saber. O sexo improvisa potentes eclosões de simpatia, na estruturação dos pródromos da fraternidade.
A mente desenvolve extraordinários valores do pensamento, no fulgor da Ciência, da Filosofia e das artes. O sexo canaliza a força dos impulsos, erigindo na materialidade e na paternidade sublimes altares ao sentimento enobrecido.
No meio augusto do tempo, a mente na matéria, se expressará, um dia, em plena luz. O sexo, que vibra na carne, radiará, um dia, o puro amor.
No regaço insondável dos milênios, a crisálida de consciência acende, humilde, o primeiro raio da coroa de glórias arcangélicas. Os genes cromossomáticos, que partem dos núcleos celulares e do citoplasma, iniciam, com modesta nota, a sinfonia cósmica da comunhão dos querubins.
Atritada pelos problemas e acicatada pelo trabalho, a mente freme na eclosão do conhecimento, para o esplendor da sapiência. Acrisolado pela dor, nos torniquetes da experiencia, o sexo emerge, transformado, para as excelsas criações da beleza.
Torna-se a mente em poder; torna-se o sexo em amor. O poder constrói os mundos; o amor os apura e diviniza.
A mente se fortalece e expande; o sexo se desdobra e auto completa. Entretanto, só a mente é eterna; o sexo, que a reflete, acaba por ela absorvido.
Dia chega em que só a mente existe, na plenitude da vida, gloriosa de sabedoria e de amor, na comunhão divina. Então, o verme humilde, que se transformara, com o tempo, em homem problema, será, no império do universo, um príncipe de luz.

Do Livro – Universo e Vida – Áureo / Hernani T. Sant’Anna

Poder de Deus

"O poder de Deus é onímodo, onipresente e eternamente atuante no universo, porque está nele imanente, não podendo ser traído ou alterado por nenhuma força e por nenhum ser da Criação."

Radiações Luminosas - Lv Universo e Vida