domingo, 8 de outubro de 2017

Brinde para Jesus

BRINDE PARA JESUS
Na existência terrestre, surgem momentos tão aflitivos em certas circunstâncias, que mais vale dissolver as nossas relações na luz do entendimento, ante o silêncio do coração que expô-las verbalmente, traduzindo-as nos lábios, sob a força do raciocínio.
Bastas vezes, semelhantes ocasiões decorrem de provações particulares, na vida íntima, como sejam:
A atitude impensada de pais queridos, ante os quais não nos será lícito demonstrar o mínimo desconsolo;
A ofensa de filhos bem-amados, a quem desejamos ofertar unicamente proteção e ternura;
A hora de lágrimas de incompreensão de que partilhamos, frequentemente, perante a companheira ou o companheiro com os quais tenhamos edificado a benção do lar;
O prejuízo que procede do associado de trabalho ou de ideal, a cuja amizade empenhamos o coração;
O desapontamento que um amigo nos cause;
O menosprezo oriundo da indiferença de companheiros que relacionávamos por tesouros de felicidade no escrínio da vida;
A deserção dos seres queridos;
A extremada luta pela conquista de compreensão naqueles com que respiramos o mesmo clima espiritual;
A dor que os entes amados nos impõem, quando se fazem motivos de tumulto e tribulação no campo de nossa própria casa. . .
Nessas horas de crise, em que tudo parece conspirar contra nós e em que a nossa própria palavra, se for expressa, nada mais conseguirá que complicações e mais luta para a vida dos outros, lembremo-nos de que todos somos criaturas do Criador e ofereçamos um brinde para Jesus, de que todos somos tutelados na terra:
- o brinde da paciência para com todos aqueles que nos criem provações e problemas, e, reconhecendo que os objetivos da evolução se nos resumem na formação da felicidade de todos, em louvor de todos, acendamos pelo menos pequenina chama de amor no próprio coração. . .
E com semelhante luz, trabalhando e servindo, sem precipitação e sem desânimo, aguardaremos, em paz, a intervenção infalível das leis de Deus.

Pelo Espírito Emmanuel - Do livro: Encontro de Paz, Médium: Francisco Cândido Xavier

De Alma para Alma

DE ALMA PARA ALMA
Escuta, alma querida!
Ante as perturbações e os empeços da vida,
Onde não possas ajudar
A dissipar a treva e extinguir o pesar,
Nada fales, em vão!...
Uma palavra, às vezes, tão-somente,
Na moldura de um gesto irreverente,
Basta para espancar o coração.

Se anotas sombra e dor, por onde jornadeias
Dá consolo e respeito às aflições alheias...
Tempo vai, tempo vem...
E assim como o carvão se faz diamante puro,
Na forja do destino, em louvor do futuro,
Todo o mal se converte em coluna do bem.

Usa o verbo, esparzindo novas luzes,
Não condenes, não firas, não acuses!...
Onde enxergares pedra, lodo, espinho,
Cobre de paz e amor as lutas do caminho.

Lembremos nossos erros, teus e meus!...
Todos sofremos provas, alma boa,
Trabalha, serve, ajuda, ama e abençoa
E encontrarás contigo a presença de Deus.

Pelo Espírito Maria Dolores - Do livro: Antologia da Espiritualidade, Médium: Francisco Cândido Xavier

Alegria e Ação

ALEGRIA E AÇÃO
A alegria espontânea, que decorre de uma conduta digna, é geradora de saúde e bem-estar.
O homem que executa com prazer os seus deveres e sabe transformar as situações difíceis, dando-lhes cor e beleza, supera os impedimentos e facilita a realização de qualquer empresa.
A alegria, desse modo, resulta de uma visão positiva da vida, que se enriquece de inestimáveis tesouros de paz interior.
Viver deve ser um hino de júbilo para todos quantos se movimentam na Terra.
Oportunidade superior de ascensão pode ser considerada uma bênção de alto porte, que somente uma conduta jubilosa e reconhecida pode exteriorizar como forma de gratidão.
*
Quanto faças, realiza-o com alegria.
Põe estrelas de esperança no teu céu de provações e rejubila-te pelo ensejo evolutivo.
Abre-te a outros corações que anelam por amizade e aumenta o teu círculo de companheiros, transmitindo-lhes as emoções gratas do ato de viver.
Qualquer ação, inspirada pela alegria torna-se mais fácil de executada e aureola-se da mirífica luz do bem.
Nem sempre é o fato, em si, o grande problema, mas o estado de ânimo e a forma de encará-lo por aquele que o deve enfrentar.
Coloca o toque de alegria nas tuas realizações, e elas brilharão, atraindo outras pessoas, que se sentirão comprazidas em poder ajudar-te, estar contigo, participar das tuas tarefas.
O Evangelho é uma Boa Nova de alegria, pois que ensina a superar a dor, a sombra da saudade, e aclara o enigma da morte.
Neste, como em todos os teus dias, sê alegre, demonstrando gratidão a Deus por estares vivendo.

FRANCO, Divaldo Pereira. Episódios Diários. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. LEAL. Capítulo 40

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Ao Médium Doutrinador

AO MÉDIUM DOUTRINADOR
Meu Amigo.
Considera na mediunidade uma poderosa alavanca de expansão do Espiritismo, reconhecendo, porém que a Doutrina Espírita e o serviço mediúnico são essencialmente distintos entre si. Todos os encarnados são médiuns e antigos devedores uns dos outros.
Nunca destaques um gênero de mediunidade como sendo mais valioso que outro, sabendo, no entanto, que o exercício mediúnico exige especialização para produzir mais e melhores frutos e benefício de todos. A mediunidade existe sempre como fonte de bênçãos, desde que exercida com devotamento e humildade.
No burilamento de faculdades mediúnicas, situa a feição fenomênica no justo lugar para não te distraíres com superfluidades inconsequentes. O aspecto menos importante da mediunidade reside no próprio fenômeno.
Relaciona-te pois, com o fenômeno quando ele venha a surgir espontaneamente em tarefas ou reuniões que objetivem finalidades mais elevadas, que não o fenômeno em si, usando equilíbrio e critério na aceitação dos fatos. A provocação de surpresas em matéria de mediunidade não raro gera a perturbação.
Jamais perca a esperança ou a paciência no trato natural com os nossos irmãos enfermos, especialmente quando médiuns sob influenciação inferior, para que se positive a assistência espiritual desejável. Quem aguarda em serviço o socorro da Divina Providência, vive na diretriz de quem procura acertar.
Mobiliza compreensão, tato e paciência para equacionar os problemas que estejam subjugando os enfermos desencarnados, elucidando-os com manifesta indulgência quanto à Realidade Maior no que tange ao fenômeno da morte, ao intercâmbio mediúnico, ao corpo espiritual e a outras questões afins. A palavra indisciplinada traumatiza quem ouve. Analisa com prudência as comunicações dos espíritos sofredores, segundo a inspiração do amor e a segurança da lógica, aquilatando-lhes o valor pelas lições que propiciem inequivocamente a nós mesmos. O bom senso é companheiro seguro da caridade.
Compenetra-te dos teus deveres sagrados, sabendo que o medianeiro honesto para consigo mesmo, chega à desencarnação com a mediunidade gloriosa, enquanto que o medianeiro negligente atinge o rio da morte com a tortura de quem desertou da própria responsabilidade. A mediunidade não se afasta de ninguém, é a criatura que se distancia do mandato mediúnico que o Plano Superior lhe confere.

Pelo Espírito André Luiz - Do livro: Opinião Espírita, Médiuns: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira

domingo, 17 de setembro de 2017

A Filha do Amor

A FILHA DO AMOR
A caridade, como filha do amor, carrega consigo a luz da vida. Quando praticada com ternura, conforta o coração, de onde sai clareando todos os sentimentos que o bem impulsiona.
O Espiritismo é o mediador da luz de Nosso Senhor Jesus Cristo; por isso, ele se constitui em bênçãos de Deus e permanece no mundo consolando e instruindo as criaturas, para a formação de um novo mundo, onde há abundância do mel da verdade e do leite da fé.
Muita gente encontra-se maldizendo a Terra, pelos acontecimentos nela surgidos, mas na verdade ela está se elevando por força da lei. Quantas coisas boas existem na Terra, quantas descobertas apareceram nesses últimos cem anos em favor da humanidade! Se alguns usam as descobertas para o mal, logo se cansarão, e passarão a aplicá-las no bem comum, donde surgirá a alegria interna. Todos somos feitos iguais, e todos somos filhos do mesmo Deus.
A lei natural que afirma que todos os homens permeiam uns com os outros é irrefutável, expressando a vontade de Deus para o bem de todos. Ninguém engana o Senhor nas suas qualidades eternas.
A caridade conduz à mansuetude, no equilíbrio que a luz nos oferta, porque ela nasce no centro onde gera a vida. Verifiquemos que em todas as organizações espiritas surge a assistência social de muitas formas, capaz de consolar as criaturas que sofrem, na forma de pão, de roupa, de teto e várias outras modalidades de ajudar; é a caridade em função do amor, inspirada pelos benfeitores encarregados por Jesus, no alimento da alma, e para que a Doutrina Espírita circule na Terra, com esta feição de amor.
O Espiritismo está empenhado com Jesus nas mudanças dos sentimentos humanos que, de primitivos irão passando a ser maduros, entendendo o bem como dever, a educação como caminho, e a instrução como luz para compreender a vida, na simplicidade em que ela foi criada. Em todos os momentos de caridade, lembre-se de que ela salva no seu trabalho, no seu lar e na sua vida e que, às vezes, gestos pequenos costumam salvar uma nação de grandes catástrofes. Como é bom um lar viver em paz! Mas ela nasce no perdão e no exemplo do bem. Como é sublime entender os companheiros de trabalho! Aí surge a amizade e o ambiente se clareia com a fraternidade! Como é alegre a pessoa ser vista nas ruas como amiga da paz e da Concórdia! Todos vibram amor em seu benefício. São sementes que se passa a semear, e cujos frutos outro não colhe. É nesse sentido que se fala “O que é meu é meu”; aí não entra o egoísmo, mas a verdade. O egoísmo é a negação da caridade, é a enfermidade que somente se cura com o amor.
Este livro – Conceitos de Paz -, como lembrança do Evangelho, mais faz lembrar da melhora interna, do auto aperfeiçoamento, para a glória de si mesmo, porque para tanto fomos criados. Quem aperfeiçoa a si mesmo está se lembrando do Pai e agradecendo a Jesus, pela Sua grande renúncia de pisar junto aos homens, para dar o exemplo de amor, falando e fazendo, durante a Sua estadia na Terra, a pura caridade.
Quem deseja libertar-se das imperfeiçoes, vence a si mesmo amando.

Conceitos de Paz – Miramez/João Nunes Maia